ANEAM - Associação Nacional dos Engenheiros Ambientais

05-08-2013

Entrevista com o engenheiro ambiental e LEED AP BD+C (LEED Accredited Professional) João Gallo

Avalie este item
(1 Voto)

A Associação Paranaense dos Engenheiros Ambientais – APEAM vem buscando valorizar, fortalecer e integrar a classe dos profissionais de Engenharia Ambiental do Paraná.

Pretendendo mostrar os desafios e oportunidades da nossa área, criamos em nosso site o quadro “Mercado de Trabalho”, para destacar como profissionais deste campo alcançaram e estão a alcançar o tão almejado sucesso.

A APEAM escolheu o engenheiro ambiental João Vitor Gallo como exemplo de sucesso na carreira. Gallo possui MBA em Sistema de Gestão Ambiental, é LEED AP BD+C (LEED Accredited Professional) e atua como Coordenador de Projetos em certificação LEED (certificação de edifícios sustentáveis) e em projetos de eficiência no uso de água predial na Petinelli Consultoria Empresarial.

Confira abaixo a entrevista realizada com o Eng. João Vitor Gallo pela APEAM:

APEAM – Qual é a importância da certificação LEED?

Eng. João Gallo - O LEED é uma ferramenta muito importante de mudança em como as edificações são concebidas. Atualmente, o setor da construção civil é responsável pelo consumo de aproximadamente 55% da madeira e 40% de matérias-primas e energia em âmbito mundial. O LEED é uma certificação criada pelo conselho norte americano de construções sustentáveis (USGBC) para, a partir de um padrão de referência, diminuir os impactos ambientais durante a obra e também na operação do edifício através de equipamentos e sistemas eficientes. O interessante deste selo, e um dos motivos pelo qual é o mais utilizado no mundo, é que como é possível medir os níveis de redução e eficiência também é possível recompensar, através de níveis de certificação (Básica, Prata, Ouro e Platina). Dessa forma, uma empresa que possui uma fábrica certificada com o nível prata, por exemplo, faz com que o seu concorrente também vá atrás de uma certificação igual ou superior. Essa disputa movimenta o mercado e faz com que o numero de construções sustentáveis cresça ano após ano e consequentemente diminua o impacto ambiental causado pela construção civil.

APEAM – Por que você se interessou por esta área?

Eng. João Gallo – Sempre fui atraído por eficiência, tinha (e ainda tenho) o hábito de buscar a lâmpadas que consumiam menos, equipamentos eletrônicos com selo de eficiência energética (Procel A, Energy Star…) e sempre que olhava pela janela do meu quarto a noite via o centro da cidade repleto de prédios com seus “quadradinhos” acesos e imaginava que em cada ambiente daquele havia uma família que lava-roupa, toma banho, escova os dentes, cozinha vêem TV, ligam a geladeira, etc. e imaginava o quanto uma cidade pode consumir os recursos naturais e energéticos e o quanto disso provavelmente era desperdício. Então decidi que gostaria de estudar o tema mais a fundo e nada melhor do que a monografia de conclusão de curso para isso. Durante as minhas pesquisas meu orientador (Dr. Carlos Melo Garcias) me recomendou ler sobre a certificação LEED, e quando tive contato com os guias de referência e os cursos que fiz na sequencia, não tive dúvidas que essa seria a área em que eu gostaria de atuar.

APEAM - Quais foram as maiores dificuldades encontradas no mercado de trabalho?

Eng. João Gallo - Logo que terminei a faculdade optei por qualificar meu currículo e expandir meus conhecimentos com um MBA em Sistema de Gestão Ambiental, acreditava que um recém-formado, sem experiência, deveria ao menos ter um currículo de cursos e pós-graduações para poder ter uma entrada no mercado de trabalho. Porém as empresas buscam mais do que isso, pude observar, e hoje em dia constatar, que o mercado busca um conhecimento aprofundado em uma área específica e vontade de trabalhar duro. No meu caso o TCC da graduação e da pós-graduação e os últimos cursos que realizei, eram sobre a certificação LEED e por ser um tema muito novo, o pouco conhecimento que possuía me possibilitou abrir a primeira porta do mercado de trabalho. O que posso dizer é que a falta de experiência do começo é sempre a maior dificuldade, independentemente da área de atuação, mas que pode ser ultrapassada com uma carga de conhecimento através de cursos e especializações em um ramo específico para que valha a pena a empresa investir no profissional Junior. Conhecimentos genéricos nem sempre são bem interpretados pelas empresas, passa uma ideia que o profissional ainda está “perdido” e agrega pouco valor para uma empresa que possui área de atuação definida. Obviamente que esta situação não se aplica a todo nicho de mercado, para um profissional autônomo ou que busca cargo público, um conhecimento genérico em diversas áreas pode ser interessante.

APEAM - A Engenharia Ambiental é relativamente nova no mercado de trabalho brasileiro e também, dentre as demais engenharias, a que mais tem potencial de crescimento. O que você acha que esta faltando para que este fato seja concretizado?

Eng. João Gallo - Acredito que tudo seja um efeito em cascata, começando com o maior apoio do governo a órgãos ambientais para punir severamente o Poluidor. Dessa forma as empresas buscarão estar adequadas e terão seu próprio engenheiro ambiental contratado. Empresas de consultoria ambiental terão muito mais trabalho e será necessário contratar, e terá maior incentivo para remedição de áreas contaminadas e prevenção de contaminação e degradação. Ao mesmo tempo, o CREA nos dará maior abertura para assinarmos um maior numero de projetos, que a propósito já temos a capacidade, mas não temos a autoridade, e dessa forma demarcar o território de atuação do engenheiro ambiental que hoje em dia é “habitado” por profissionais de outras áreas que não possuem a mesma capacidade técnica que temos.

APEAM - Qual a importância da APEAM para o fortalecimento da categoria?

Eng. João Gallo - A APEAM tem o papel fundamental para lutar por esse território de atuação. O curso de engenharia ambiental foi criado pra sanar uma demanda do mercado de trabalho, onde profissionais de outras áreas, sem capacidade técnica, elaboram estudos e projetos ambientais sem o correto rigor técnico. APEAM é a voz de todos os engenheiros ambientais que lutam por um maior reconhecimento de funções, que exige a restrição das áreas de atuação dos outros profissionais e que quer maior espaço dentro do CREA através de câmaras técnicas e direito de voto. Lá dentro somos iguais a todas as outras engenharias.

APEAM - Para finalizar, qual recado você gostaria de deixar aos futuros Engenheiros Ambiental?

Eng. João Gallo - Caros, vivemos uma era especial onde nos encontramos em um ponto chave para gerar a mudança, a população do mundo já percebeu que o planeta dá sinais de saturação, nunca se falou tanto em sustentabilidade e ecologia em todos os veículos de comunicação. Temos a obrigação e a responsabilidade de fazer parte dessa mudança, poucos possuem tanta nobreza nas mãos, portanto dê valor a cada conhecimento adquirido e busque o desenvolvimento sempre atrelado ao conceito sustentável e gere movimento, porque movimento gera energia e energia impulsiona a mudança.

Fonte: APEAM

Add comment


Security code
Refresh

Associação dos Engenheiros Ambientais

Top Desktop version