ANEAM - Associação Nacional dos Engenheiros Ambientais

07-07-2012

Exemplo de Sucesso Profissional: Engª Ambiental Juliane Görgen

Avalie este item
(0 votos)

A Engenheira Ambiental Juliane Görgen, graduada em dezembro de 2010, pela UNIVATES Centro Universitário e pós-graduanda em Saneamento Ambiental

, atualmente exerce o cargo de chefe do aterro sanitário do município de Teutônia/RS.

Também atua nas áreas de licenciamento ambiental, vistorias técnicas, emissão das licenças ambientais de atividades industriais, supressão da vegetação, parcelamento do solo e agrossilvopastoris (bovinocultura, suinocultura, avicultura, piscicultura) e autorizações de projetos de construção residencial e comercial, junto ao departamento de meio ambiente da Prefeitura Municipal de Teutônia.

O aterro sanitário é o único da cidade e atende a população total de aproximadamente 28 mil habitantes. Em 2010, foi inaugurada a segunda célula do aterro, com vida útil prevista de 20 anos, licenciada pela FEPAM – Fundação Estadual de Proteção Ambiental. No local, há também a coleta seletiva dos resíduos, por meio de uma unidade de triagem, promovendo um melhor reaproveitamento e destinação adequada dos resíduos gerados pela população.

Segue abaixo a entrevista da Associação Nacional dos Engenheiros Ambientais – ANEAM à Engª Juliane Görgen:

Engª Juliane Görgen

ANEAM - A Associação Nacional dos Engenheiros Ambientais – ANEAM vem buscando cada vez mais valorizar, fortalecer e integrar a classe dos profissionais de Engenharia Ambiental do Brasil. Assim, criamos em nosso Site o quadro Carreira, para mostrar como profissionais desta área alcançaram o tão almejado sucesso. A ANEAM escolheu você como exemplo de sucesso na Carreira. Conte como foi chegar até aqui e quais seus planos para o futuro.

Engª Juliane - Foram seis anos de estudos. Comecei a trabalhar no primeiro ano de faculdade, mas não na área de formação; a demanda de estágios para engenheiros ambientais era ainda muito pequena. Em 2008, consegui uma bolsa em um projeto de pesquisa na Universidade em que estudei, fui bolsista de iniciação científica de um projeto na área de alimentos orgânicos e desenvolvimento sustentável, onde fiquei por um ano. Saí do projeto para estagiar no Departamento de Meio Ambiente da Prefeitura Municipal de Teutônia/RS, onde estou até hoje. No final de 2010, quando estava me formando, fui contratada, e desde fevereiro deste ano estou com o cargo de chefe do aterro sanitário municipal. Este ano iniciei a pós-graduação em Saneamento Ambiental, e estou buscando por outras oportunidades para atuar como Engenheira Ambiental. Gostaria de atuar em empresas, para adquirir mais conhecimentos e, futuramente, talvez, abrir meu próprio negócio, mas ainda não sei sobre o quê exatamente. E claro, continuar estudando e me especializando.

ANEAM - Quais foram as maiores dificuldades encontradas no mercado de trabalho, se existiram?

Engª Juliane - Existem ainda muitas dificuldades. Acredito que por se tratar de uma profissão nova, estamos ainda um pouco confusos diante das competências e, praticamente tudo que podemos fazer, já existem outros profissionais que fazem.

ANEAM - A Engenharia Ambiental é relativamente nova no mercado de trabalho brasileiro e também, dentre as demais Engenharias, a que mais tem potencial de crescimento. O que você acha que esta faltando para que esse fato seja concretizado?

Engª Juliane - Acredito que falta a união de todos os Engenheiros Ambientais para então definirmos com clareza nossas competências e, assim como outras classes, definir atividades que apenas nós, engenheiros ambientais, podemos realizar.

ANEAM - Na sua opinião, o que falta para os engenheiros ambientais hoje?

Engª Juliane - Falta clareza em relação às competências do Engenheiro Ambiental. Pelo menos aqui, no Rio Grande do Sul, sentimos isso; consequentemente falta um pouco de reconhecimento. Sabemos o que estabelece a Resolução n° 447, de 22 de setembro de 2000, onde nos compete os itens de 1 a 14 e o 18. Mas, na verdade, o que compete somente a um Engenheiro Ambiental?

ANEAM - Hoje você está sendo reconhecido(a) pelo trabalho, esforço e dedicação em prol da profissão de Engenheiro(a) Ambiental. Qual recado você gostaria de deixar aos futuros Engenheiros Ambientais?

Engª Juliane - Acredito sim que essa profissão está crescendo e se tornando, assim, mais reconhecida no mercado. Como já comentado, por se tratar de uma profissão nova, ainda caminha em passos lentos. Mas não desanimem e não se acomodem, não é tudo tão fácil, mesmo com toda essa “propaganda” que fazem como sendo a profissão do futuro. Estudem e aproveitem todas as oportunidades que surgirem, estágios, intercâmbios e cursos, pois a área de meio ambiente engloba muitas outras e, mesmo que essas hipóteses de que a sustentabilidade é uma “modinha” criada para dar uma “mexida” na economia possa ter um fundo de verdade, podemos mostrar que devemos cuidar do nosso meio ambiente como um todo, apresentando alternativas e “soluções” para preservar os recursos naturais.

ANEAM - A ANEAM, por meio desta entrevista, vem cumprindo o seu papel de reconhecimento e valorização dos Engenheiros(as) Ambientais do Brasil. Como você avalia esta ação?

Engª Juliane - A iniciativa da criação da ANEAM já foi ótima, e esta ação só tem a acrescentar e a nos dar forças. Devemos buscar cada vez mais reconhecimento, mostrando a importância da nossa profissão e o nosso espaço como profissionais.

Diretoria de Comunicação ANEAM

 

 

 

 

 

Última modificação em Sábado, 07 Julho 2012 23:18

Add comment


Security code
Refresh

Associação dos Engenheiros Ambientais

Top Desktop version