ANEAM - Associação Nacional dos Engenheiros Ambientais

03-08-2012

Engenheiro ambiental na construção civil

Avalie este item
(0 votos)

Identificada como uma das "profissões do futuro", a engenharia ambiental é uma área do conhecimento nova, mas que tem tudo para ser cada vez mais valorizada em função do aumento da preocupação ambiental em todo o mundo

e do "endurecimento" das leis relacionadas ao meio ambiente.

Um reflexo disso é a maior participação desses profissionais na construção civil. Ainda que sejam poucas as construtoras que mantêm engenheiros ambientais integrando suas equipes, boa parte das empresas ou contrata escritórios especializados em soluções ambientais, especialmente para respaldar suas ações em empreendimentos de grande porte, ou apoia a realização de cursos de especialização na área ambiental por seus engenheiros civis e arquitetos.

Auxílio em processos de obtenção de licenciamento ambiental junto a órgãos públicos, gerenciamento de resíduos gerados pelas obras, além de assessoria na obtenção de selos verdes são os principais serviços que despertam o interesse das construtoras e incorporadoras. "Além disso, os profissionais que trabalham na área ambiental, sejam engenheiros, geólogos, entre outros, podem ajudar no levantamento de passivos ambientais na região de implantação dos empreendimentos", diz Giovanna Setti, superintendente da divisão de Engenharia e Consultoria Ambiental da Essencis e presidente da Aesas (Associação Brasileira das Empresas de Consultoria e Engenharia Ambiental).

A atuação do Engenheiro Ambiental pode se dar desde as etapas de planejamento (anteprojeto, projeto básico e executivo) até a etapa de execução. As oportunidades de trabalho são muitas, sobretudo porque há muito a ser feito em relação à redução dos impactos ambientais provocados pela construção. Fernando de Barros, responsável técnico da Master Ambiental, conta que, de forma geral, as empresas estão despreparadas para atender à legislação ambiental, já que as leis e regulamentações são novas e desconhecidas.

Formado em engenharia civil, Barros é um dos muitos engenheiros que, atentos à movimentação do mercado, direcionaram suas carreiras para a área ambiental. Ele conta que, após 30 anos de formado e de atuação intensa na construção civil, fez um curso de especialização na área de Planejamento e Gestão Ambiental após perceber a dificuldade que as empresas tinham para licenciar os empreendimentos imobiliários. Assim como acontece em outros ramos da engenharia, o profissional da área ambiental atua, em grande parte, como um gerente de projetos multidisciplinares.

Mas também há conhecimentos específicos que precisam ser dominados pelo profissional que atua no segmento ambiental. O profissional deve compreender as condicionantes sociais envolvidas nos projetos e as necessidades das empresas para se manterem no mercado. Por isso, a importância de se interessarem por políticas públicas, economia ambiental e ecologia. Em geral, as habilidades exigidas no dia a dia dos engenheiros ambientais vão além de expertise técnica ou da formação específica. É preciso ter uma mente criativa e ser capaz de encontrar soluções para problemas diversos e estar aberto ao trabalho interdisciplinar. Capacidade de liderança e interesse em se manter atualizado são outras características que não podem faltar no perfil dos profissionais. "Essa é uma área muito dinâmica, com tecnologias novas surgindo a cada dia. Portanto, o profissional tem de se atualizar sempre, seja fazendo especialização, mestrado ou participando de congressos, tanto no Brasil quanto no exterior", recomenda Giovanna Setti.

A seguir, o Diretor da Bakuara Engenharia Ambiental, Vinicius Scaramel fala sobre o mercado da Construção Civil para o Engenheiro Ambiental.

Vinicius Scaramel, Diretor da Bakuara Engenharia Ambiental

Como vêm evoluindo as oportunidades de trabalho para os engenheiros ambientais na construção civil?

A forte expansão da construção civil, aliada às pressões da sociedade, do governo e dos empreendedores têm levado projetistas, gerenciadoras e construtoras a procurar pelos serviços de Engenharia Ambiental. Nota-se grande demanda principalmente em projetos elaborados desde seu berço sob princípios sustentáveis, na maioria das vezes atrelados ao objetivo de obtenção de alguma certificação verde. Apesar disso, ainda considero as questões relacionadas à sustentabilidade embrionárias na construção civil.  Basta vermos o número de canteiros  de obras e a quantidade de certificações já conquistadas.

Como foi o início de sua carreira? Como se especializou?

Tenho nove anos de experiência na área ambiental. Comecei atuando na área de Sistema de Gestão Ambiental em indústrias como a Mercedes-Benz do Brasil e Natura e, depois, na área de administração de shopping centers. A versatilidade é fundamental para um Engenheiro Ambiental, então realizei um curso de especialização na área de Administração aprendendo conceitos fundamentais para a construção civil, como Gerenciamento de Projetos e Gerenciamento de Custos. Há dois anos fundei minha empresa. Desde então realizamos projetos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos para a Sonae Sierra e para a JHSF.

Que dicas o senhor pode dar para o profissional que pretende ingressar nessa atividade?

É importante que o profissional tenha amor pela profissão e não se deixe levar pelo radicalismo. O progresso sustentável é constituído de três pilares: ambiental, social e econômico. A harmonia entre esses três é o estado ideal para o progresso. O engenheiro ambiental deve ser capaz de pensar não somente no controle dos impactos ambientais, mas também na melhor utilização dos recursos pessoais e financeiros.

CURRÍCULO

Atribuições: vão desde a realização de Estudos de Impacto Ambiental até a elaboração de projetos de captação de águas pluviais e de gerenciamento de resíduos. O profissional pode auxiliar, ainda, em processos de obtenção de certificação verde e promover ações educacionais nos canteiros.

Formação: graduação em Engenharia Ambiental ou graduação em outras engenharias (civil, por exemplo) complementada por especialização na área ambiental, sobretudo em planejamento e gestão.

Aptidões: além de conhecimentos técnicos, administrativos e legais, o engenheiro ambiental deve ter o perfil de planejador. Entre as habilidades humanas, é importante que seja inovador e tenha empatia para compreender os papéis e necessidades de cada setor envolvido no processo. O profissional deve, ainda, identificar-se com a causa ambiental e estar disposto a ampliar constantemente   seus conhecimentos.

Oportunidades de trabalho: principalmente em empresas de projetos e de soluções ambientais. Muitos engenheiros encontram  boas oportunidades como profissionais autônomos.

Remuneração: o Crea (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia) determina um piso salarial de seis salários mínimos para um regime trabalhista mensal de seis horas/dia, e de oito salários mínimos para oito horas/dia. Mas a remuneração pode variar de acordo com a situação do profissional, podendo ser menor ou maior, conforme experiência e qualificação. Normalmente um profissional iniciante leva dois anos até ser contratado como engenheiro. Antes disso, pode atuar como estagiário ou contratado com outra função.

Fonte: Revista Téchne

 

Última modificação em Sexta, 03 Agosto 2012 21:43

Add comment


Security code
Refresh

Associação dos Engenheiros Ambientais

Top Desktop version