ANEAM - Associação Nacional dos Engenheiros Ambientais

12-04-2016

GASEIFICAÇÃO É ALTERNATIVA ENERGÉTICA PARA MUNICÍPIOS NA ELIMINAÇÃO DOS LIXÕES

Avalie este item
(0 votos)

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), instituída pela Lei nº 12.305/2010 e que veta a existência de lixões no país, está em vigor desde 2014. No entanto, estima-se que apenas 10% dos municípios brasileiros estejam agindo de acordo com a lei. As tecnologias capazes de transformar resíduos sólidos em energia surgem como uma solução para a desconformidade na qual a maior parte das cidades vive.

 

 

Uma das alternativas em tecnologia mais viáveis é a gaseificação, um processo que, além de ser benéfico ao meio ambiente, é acessível economicamente. O processo começa na coleta dos resíduos urbanos, que continuam passando pela triagem e separação realizada por cooperativas de reciclagem, por exemplo.

 

O que não é reciclável, o material orgânico e contaminado, além de outros resíduos, como o lodo de esgoto, serve de base para a gaseificação. Esse material é homogeneizado (blending) e passa por um processo de retirada de líquidos e umidade.  Na sequência, este material já devidamente preparado é alimentado ao gaseificador, onde é transformado em gás de síntese (syngas) o qual é queimado em uma caldeira a gás que irá gerar vapor, e o mesmo acionará uma turbina que estará acoplada a um gerador de energia elétrica. Portanto, ao final desse processo, é eliminado o passivo ambiental.

 

A gaseificação é uma realidade em países da Europa, Canadá, Estados Unidos e da Ásia, e pode fazer parte das alternativas tecnológicas do Brasil a partir de junho, quando o projeto piloto será apresentado à sociedade na Thermal Conversion Solutions 2016 – TCS Brasil’16, em Foz do Iguaçu.

 

A partir de plantas do projeto feitas nos Estados Unidos, foi possível constatar que a tecnologia é viável até para municípios de menor porte, já que podem ser transformadas cerca de oito toneladas de resíduos por dia pelo processo de gaseificação. Além disso, se produzido no Brasil, o mecanismo da tecnologia se torna ainda mais barato.

 

 

A TCS Brasil’16  focará o papel das tecnologias de conversão térmica como soluções sustentáveis para assegurar maior estabilidade à matriz energética brasileira, apresentando uma agenda proativa de soluções para a geração distribuída, a partir do aproveitamento do potencial de biomassa e outros combustíveis disponíveis no país. Nessa agenda, o poder público, representado pelos seus órgãos e instituições, bem como organizações com foco na solução de problemas socioambientais, terão espaço para propor alternativas para uma melhor utilização de resíduos sólidos urbanos. TCS Brasil’16 acontece de 1º a 3 de junho de 2016 em Foz do Iguaçu, Informações sobre inscrições e exposições estão disponíveis no site www.tcs-brasil.com. 

 

 

Fonte: Meio Filtrante

Add comment


Security code
Refresh

Associação dos Engenheiros Ambientais

Top Desktop version