ANEAM - Associação Nacional dos Engenheiros Ambientais

18-03-2014

MARÇO - MÊS DA MULHER NA ENGENHARIA Destaque

Avalie este item
(1 Voto)

Já é sabido que dia 8 de março seja o Dia Internacional da Mulher. Neste sentido a ANEAM, por meio de sua Diretoria de Comunicação gostaria de dedicar este mês de março à figura da mulher.

 

As linhas que seguem fazem parte de nossa singela homenagem às Mulheres que integram o time da ANEAM nessa busca incansável por espaço e pelo respeito a nossa categoria.

 

Mulheres, que por meio de suas lutas, seus obstáculos históricos para a autoafirmação, suas ambições pessoais, seus desejos, sua significação multifacetária, sempre nos remete a um ser tão especial que vive em constante transformação na busca por seus sonhos, particularmente nesse mercado de trabalho ainda dominado pelo sexo masculino.

 

A mulher na engenharia é sempre uma profissional multitarefas, capaz de desempenhá-las com perícia e naturalidade. E vocês têm conseguido utilizar o preconceito ainda existente como motivação para superar seus limites e mostrar que são tão capazes e até superiores do que nós homens em diversas áreas.

 

Um mês é muito pouco para o que vocês, Mulheres, significam para esta Associação e para o nosso País. Para vocês, os mais sinceros Parabéns, e como sempre dizemos aqui na nossa ANEAM:

 

“AVANTE!”

 

A ANEAM apresenta agora a "ficha técnica" de algumas de nossas Gerentes e Diretoras, como forma de apresentar, expor suas opiniões, anseios, perspectivas e dificuldades que encontraram no mercado de trabalho até o momento. Leiam abaixo:

 

  

DADOS PESSOAIS:

 

Débora Raíssa Marçal. 17 anos. Graduanda do Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária – UFG em Goiânia (GO).

 

ATIVIDADES ATUAIS:

 

- Secretária Executiva da ANEAM

- Diretora de Comunicação do CREA GO Júnior

- Diretora de Assuntos Acadêmicos do Centro Acadêmico de Engenharia Ambiental - UFG

 

DIFICULDADES ENCONTRADAS E PERSPECTIVAS:

 

“Uma das grandes dificuldades encontradas na área de Engenharia Ambiental é a falta de esclarecimento das funções e atribuições deste profissional tanto para os estudantes quanto para o mercado de trabalho, talvez justificada pela grande abrangência de áreas.

Por outro lado, vejo uma grande vantagem na formação multidisciplinar e na necessidade de saber lidar com uma gama de situações e profissionais distintos que o perfil de Engenheiro Ambiental exige, pois temos uma visão abrangente do funcionamento do meio em que convivemos e tornamo-nos mais habilitados para atuar inclusive em áreas de gestão.

É preciso assumir também que o curso é relativamente novo se comparado às Engenharias tradicionais e está ganhando o seu espaço, sendo visto e adquirindo reconhecimento. Antes de sermos vistos como os profissionais do futuro, deveríamos ser vistos como os engenheiros do presente, capazes de não só solucionar, mas também evitar problemas. Problemas ambientais entendidos nos aspectos social, econômico, educacional, cultural, natural, demográfico ecológico e científico.

Ser Engenheiro Ambiental é priorizar a Engenharia em prol da Qualidade de Vida!”

 

  

DADOS PESSOAIS:

 

Kamila Barros Bonfim. 26 anos.

 

ATIVIDADES ATUAIS:

 

- Superintendente da ANEAM

- Consultora Ambiental no Grupo ECOPAV Soluções Urbanas

- Diretora de Relações Externas e Comunicação do CREA Júnior MT

 

DIFICULDADES ENCONTRADAS E PERSPECTIVAS:

 

“Uma das grandes dificuldades que encontrei na Engenharia Ambiental é sem dúvida o mercado de trabalho. Pois como somos um curso que só tem 21 anos de criação no Brasil e por ser um curso focado na área ambiental faz com que muitos o generalizem e confundam com outras formações profissionais.

Há pouca informação sobre as nossas reais atribuições e o nosso verdadeiro papel na sociedade justo por ter alcançado a maioridade recentemente. Somos um tipo de profissional que não é encontrado em nenhuma engenharia, com uma formação multidisciplinar, uma sólida base científica, espírito empreendedor, criativo, ou seja, uma visão holística sobre o meio ambiente em prol do interesse social.

Muitos acadêmicos e profissionais não conseguem administrar o seu real potencial, pois o mercado de trabalho não perdoa, só fica quem é o melhor! Portanto, recomendo que invistam em qualificação profissional e busquem experiências começando pelos estágios não remunerados! A ANEAM tem uma grande missão que é sensibilizar a todos sobre o nosso papel na sociedade e que viemos para ficar e fazer parte desta interação homem-meio ambiente.

Engenheiro Ambiental: Seja empreendedor!”

 

 

DADOS PESSOAIS:

 

Tamiris Neves Fernandes Moura. 24 anos. Graduanda do Curso de Engenharia Ambiental da Universidade de Cuiabá – UNIC, em Cuiabá (MT).

 

ATIVIDADES ATUAIS:

 

- Secretária de Planejamento da ANEAM

- Estagiária da Secretaria de Estado do Meio Ambiente, SEMA-MT

 

DIFICULDADES ENCONTRADAS E PERSPECTIVAS:

 

“Comecei meu curso em Campo Grande, em Engenharia Sanitária e Ambiental e no ultimo semestre me mudei para Cuiabá e este é o tão esperado ultimo ano.

Adoro meu curso, o que me dá um friozinho na barriga é pensar: ‘O que vou fazer depois que eu me formar?’, e o medo da competição do mercado de trabalho, que logo saberei qual a sensação.‘Mas a dúvida é o principio da sabedoria’.”

 

  

DADOS PESSOAIS:

 

Naydian Myllenna de Souza Melo. 21 anos. Graduanda do Curso de Engenharia Ambiental da Universidade Católica de Brasília – UCB em Brasília (DF).

 

ATIVIDADES ATUAIS:

 

- Gerente de Comunicação da ANEAM.

- Consultora da Empresa Júnior de Consultoria Ambiental - ECOAmbiental.

- Estagiária da Superintendência de Meio Ambiente - EMR, da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal - CAESB.

 

DIFICULDADES ENCONTRADAS E PERSPECTIVAS:

 

“As dificuldades que venho tendo como estudante são relacionadas aos estágios na área de meio ambiente que, muitas vezes, pouco se relaciona. A maioria dos estágios não oferece muita experiência na parte prática. Minhas maiores perspectivas são no sentido de ver um mercado fortalecido e com muitas oportunidades de emprego, especialmente no Nordeste, que é onde eu almejo trabalhar.”

 

  

DADOS PESSOAIS:

 

Eng. Marianna Leite Barcelos. 24 anos. Graduada em Engenharia Ambiental pela Fundação de Assistência e Educação – FAESA (2012) em Vitória (ES).

 

ATIVIDADES ATUAIS:

 

- Gerente de Comunicação da ANEAM

- Consultora Ambiental em empresa no Espírito Santo

- Docente em curso técnico do SENAI-ES.

- Em 2013, com a formação da entidade de classe no Espírito Santo, assumiu o cargo de presidente da diretoria provisória da entidade, a Associação dos Profissionais de Engenharia Ambiental do Espírito Santo (APEA-ES).

 

DIFICULDADES ENCONTRADAS E PERSPECTIVAS:

 

“De fato, a maior dificuldade é sim o mercado de trabalho. São poucas vagas para a oferta de profissionais no estado do Espirito Santo, especificamente. As contratações ocorrem geralmente por indicação, e infelizmente as empresas estão requerendo profissionais bem experientes. Então o que vejo são profissionais qualificados, muitas vezes com mestrado e especializações, mas que não conseguem ingressar no mercado, pois é requerida a tal ‘experiência’.

Acredito que o espaço no mercado é conquistado, e temos que batalhar por isso, mostrando à sociedade nossas competências, como Engenheiros Ambientais, transmitindo confiança para a sociedade.”

 

  

DADOS PESSOAIS:

 

Eng. Fernanda Cristina Reis. 27 anos. Graduada em Engenharia Ambiental e Sanitária pela Universidade do Vale do Paraíba – UNIVAP (2013) em São José dos Campos (SP).

 

ATIVIDADES ATUAIS:

 

- Gerente de Comunicação da ANEAM

- Engenheira Consultora da empresa Alfa Engenharia e Consultoria Ambiental

 

DIFICULDADES ENCONTRADAS E PERSPECTIVAS:

 

“Acredito que maior dificuldade na profissão é o mercado de trabalho. Apesar do meio ambiente estar em evidência, a quantidade de empregos gerados exclusivamente para Engenheiro Ambiental é pequena, além de muitas vezes outros profissionais ocuparem as vagas essas vagas. Mas acredito que o mercado vem crescendo e assim, gerando mais oportunidades para a Engenharia Ambiental.”

 

 

 

DADOS PESSOAIS:

 

Eng. Francielle Oliveira 'Gabirá'. 27 anos. Graduada em Eng Ambiental pela Faculdade de Talentos Humanos - Facthus (2010) em Uberaba (MG). Possui MBA em Gerenciamento de Projetos (2014). Pos-graduanda em Saneamento Ambiental pelo Instituto Federal do Triângulo Mineiro – IFTM.

 

ATIVIDADES ATUAIS:

 

- Gerente Administrativa Financeira da ANEAM

- Analista Ambiental da FIEMG - Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais. Assessora de Regularização e Gestão Ambiental nas Indústrias, Representante/Conselheira da FIEMG em: CBH Baixo Rio Grande - Gd8 e CBH Integração Grande e Conselheira no COMAM - Conselho Municipal de Meio Ambiente de Uberaba;

- Presidente da Associação dos Profissionais de Engenharia Ambiental do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Sul de Minas - APEA TMAPS e Conselheira CBH Araguari - PN2;

- Diretora Regional do Triangulo Mineiro do Sindicato dos Engenheiros do Estado de Minas Gerais (SENGE/MG)

 

DIFICULDADES ENCONTRADAS E PERSPECTIVAS:

 

“As dificuldades são gerais, ainda há o desconhecimento de uma minoria sobre a Engenharia Ambiental. O fato de ser engenheira, mulher e ainda 'uma jovem', sempre procuro enxergar os pontos positivos, principalmente nos conselhos que participo, alguns ainda nos enxergam como seres 'frageis'. Entao quando 'batemos', os mesmos são surpreendidos e passam automaticamente a nos respeitar e até admirar nosso trabalho.

Quanto às perspectivas, são positivas. Estamos ganhando espaço pouco a pouco e com isso o reconhecimento da sociedade. Muito disso, devido às entidades de classe, que nos representam, e vem desenvolvendo um ótimo trabalho, que é reconhecido pelos profissionais de Engenharia Ambiental.

Acreditar na profissão e nos profissionais que a movem, é que me motiva buscar o fortalecimento da classe.”

 

 

DIRETORIA DE COMUNICAÇÃO - ANEAM

 

 

 

 

Última modificação em Terça, 18 Março 2014 18:40

Add comment


Security code
Refresh

Associação dos Engenheiros Ambientais

Top Desktop version